EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: A OBRA DE MAURITS CORNELIS ESCHER COMO PROMOTORA DE EDUCAÇÃO NÃO FORMAL EM MUSEUS

Fernando Barcellos Razuck, Renata Cardoso de Sá Ribeiro Razuck

Resumo


A partir de diversas discussões a respeito do ensino de Matemática, alguns autores apontam como uma nova perspectiva de ensino a questão da abordagem não formal e interdisciplinar. Nesse sentido, este trabalho acompanhou a visitação – coordenada em conjunto por professores de diversas áreas – de alunos do Ensino Médio pertencentes à modalidade de ensino de Jovens e Adultos a uma exposição museológica, cuja temática central envolvia conceitos matemáticos. Observou-se que a análise interdisciplinar e uso de ferramentas paradidáticas aproximou o conhecimento científico da realidade do aluno, entendendo-se assim que as exposições museológicas podem ter um papel crucial para o processo de inclusão científica. 


Palavras-chave


ensino de ciências/matemática. educação não formal. interdisciplinaridade. exposição museológica

Texto completo:

1-10

Referências


ABC. O Ensino de ciências e a educação básica: propostas para superar a crise. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Ciências, 2008.

BARONI, R. L. S.; NOBRE, S. A pesquisa em história da matemática e suas relações com a educação matemática. In: BICUDO, M. A. V. (Org.). Pesquisa em Educação Matemática: concepções e perspectivas. São Paulo: Editora UNESP, 1999.

BARTH, G. Arte e Matemática, subsídios para uma discussão interdisciplinar por meio das obras de M.C. Escher. Dissertação de Mestrado em Educação – Universidade Federal do Paraná, 2006.

FAVARÃO, N. R. L.; ARAÚJO, C. S. A. A importância da interdisciplinaridade no ensino superior. EDUCERE - Revista da Educação, p. 103-115, vol. 4, n.2, jul./dez., 2004.

FIGUEIRA-OLIVEIRA, D; ROCQUE, L. L.; MEIRELLES, R. M. Ciência e arte; um entre-lugar no ensino de biociências e saúde. In: VII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Florianópolis, 2009.

GADOTTI, M. La question de l´éducation formelle/no formelle. In: Droit à l´éducation: solution à tous les problémes ou probléme sans solution? Sion: Institut internacional des droit de l´Enfant c/o Institut Universitaire Kurt Bösch, 2005.

IBRAM. Instituto Brasileiro de Museus. Definição de Museus. Disponibilizado em < http://www.ibram.gov.br/>. Acesso em 20 de agosto de 2010.

MICOTTI, M. C. de O. O ensino e as propostas pedagógicas. In: BICUDO, M. A. V. (Org.). Pesquisa em Educação Matemática: concepções e persperctivas. São Paulo: Editora UNESP, 1999.

RIBEIRO, M. das G. Inclusão social em museus. In: X Reunión de la Red de Popularización de la Ciência y la Tecnologia em America Latina y el Caribe (RED POP – UNESCO) y IV Taller “Ciência, Comunicación y Sociedad”. San José, Costa Rica, 2007.

TENÓRIO, L.M.F.; OLIVEIRA, L.R. MIRANDA, A.C. O Ensino de Ciências na educação de alunos surdos: a interface com a educação física. In: VII Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências (ENPEC). Anais do VII ENPEC. Florianópolis, 2009.

VYGOTSKY, L.S. Pensamento e Linguagem. 10ª edição. Petrópolis: Vozes, 2001


Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Faculdade de Tecnologia e Ciências, FTC.