MODELAGEM EPIDEMIOLÓGICA DE AIDS NO BRASIL: CASOS ONDE A INFECÇÃO OCORRE PELO CONTATO SEXUAL

Diego Alexandre Oliveira Peixoto, Viviane Galvão

Resumo


No Brasil o primeiro caso da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, habitualmente conhecida como AIDS foi notificado em 1980. Esta doença tornou-se um marco na história da humanidade. No Brasil, desde o início dos anos 2000, o número de novos casos e o de óbito de AIDS está praticamente constante. Assim, em torno de 0,6% da população brasileira possui esta doença em diferentes graus. Os modelos computacionais epidemiológicos podem utilizar equações diferenciais, teoria de agentes, autômatos celulares, redes neurais artificiais e redes complexas. Desta forma, este artigo utilizou sistemas multi-agentes e redes complexas para entender a evolução da quantidade de casos de AIDS no Brasil, nos casos em que o vetor infecção é o contato sexual. A evolução temporal da simulação foi validada com os dados obtidos no boletim epidemiológico do Ministério da Saúde. Este boletim é divulgado anualmente pelo governo brasileiro. Neste modelo, a rede aleatória foi a que mais se aproximou dos dados reais. 


Texto completo:

155-162

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Faculdade de tecnologia e Ciências, FTC.